Garotas e livros

[+18] Proposta inconveniente - Patricia Cabot

Por 06:00 4 comentários

Livro recomendado para maiores de dezoito anos ;)

Eu não tinha lido nada da Cabot em sua escrita adulta. Usando o pseudônimo Patrícia Cabot, ela me levou a uma história tratada no ano de 1830, onde as mulheres ainda não podiam ter a ousadia de serem elas mesmas. Exceto talvez, por Payton Dixton que, criada em meio aos três irmãos, era considerada, na maior parte das vezes, um garoto. Não se importavam muito em lhes dar cuidados diferenciados. Ela era apenas o quarto Dixton. Até ele notarem, em seu vestido com espartilho, que ela tinha crescido e que, de fato, era mesmo um mulher. Gosto quando as personagens de época fogem daquilo que se é convencional e tomam atitudes. E a Payton jamais seria uma donzela que, em perigo, chora ou desmaia... 

Apaixonada pelo capitão Connor Drake, Payton sonha em ser capitã de seu próprio navio. Ela cresceu desejando essa profissão exclusivamente masculina, mas agora deve abdicar disso tudon para conseguir um bom marido. O problema é que Connor só percebe seus sentimentos por Payton na véspera de seu casamento com outra. Quando o barco dos noivos parte rumo às Bahamas, ele é atacado e resta a Payton se infiltrar num navio pirata para salvar a vida do seu amado. A coragem une os dois, e o resgate pode gerar mais frutos do que ela imaginou.
Título original: An Improper Proposal
Autor: Patricia Cabot
Editora: Record
Ano: 2014 
Páginas: 350
"Essa conclusão encheu Payton de uma alegria incontida, e ela o abraçou. Drake tinha o sabor exatamente igual ao cheiro dele, de oceano - salgado e estimulante."


A história nos conta sobre Payton e sua paixão por Drake, o jovem capitão, melhor amigo de seus irmãos. O belo, forte e tão inalcançável para ela. Até o seu espartilho fazer o seu milagre. Convenhamos. Uma garota, no auge de seus dezenove anos, que só vivia de calças e blusas folgadas, no maior estilo de marinheiro, usar espartilho pela primeira vez foi um marco na sociedade masculina que passou a enxergar que sim, ela era uma mulher. -_- Apesar de ser uma ótima maruja, fazia tudo bem melhor que os homens e daria uma ótima capitã, senão fosse naquele tempo, onde a mulher não tinha vez para nada e se seus irmãos não fossem como eram, ela já teria seu próprio navio a essa altura.

"Minha vida inteira eu fiz o que meus irmãos mandaram. Vivi da maneira que eles me ensinaram. Se algum deles estivesse preso naquela ilha, eles teriam agido exatamente como eu. Então por que estou sendo punida por isso?"

Drake, que casaria no dia seguinte, ficou perplexo quando a viu. Bem, todos os homens do jantar ficaram. Quem não se encantaria com uma jovem tão bela, tão dona de si mesma e que não media palavras? rs Mas eis que uma reviravolta acontece e a ação toma conta do romance. Piratas atacam e bombardeiam o navio onde os noivos se encontram e Payton, corajosa como é, acaba embarcando no navio inimigo, na tentativa de salvar quem precisa ser salvo. Afinal, todo mundo a confunde com um garoto mesmo.

"O charme de Payton estava na sua atitude, na confiança com que se portava, na força graciosa de cada movimento, na incapacidade de ocultar sentimentos, na transparência de suas emoções través daqueles imensos olhos castanhos, na franqueza direta, na intolerância à trapaça; charme com o qual ela reagia a todos, do criado mais simples à sua assustadora avó. Payton Dixton podia ser ameaçada, mas jamais intimidada."
Mas a descoberta da sexualidade de Payton tem grande destaque na obra. E bem... que descoberta, hein Cabot? Porque, olha.... kkkkkkkkkkkk Eu realmente não imaginava ter um teor sexual tão alto na obra. Sim, posso até considerá-lo erótico ao meu ver. A jovem Payton, virgem até então, tem momentos interessantes. Não, interessantíssimos!! Ela tem um jeito mandão e desafiador que encanta e que me fez gostar ainda mais da personagem. Adorei ter conhecido a escrita de Cabot fora de seus livros juvenis (que por sinal, adoro) e principalmente por ser um livro de época, com toda aquela formalidade e cultura de época e lindamente quebrada por alguém. A escrita da autora é leve e você lê o livro rápido. Eu gostei bastante da obra e a capa divinamente bela foi o que me chamou atenção depois do nome da autora, claro. rs 


Você Deve Gostar Disto:

4 comentários

  1. Que premissa ótima tem esse livro, fiquei super interessada!
    Cabot tem mesmo talento né? E eu também adoro quando mocinhas de romance de época tem iniciativa.
    Ótima resenha. Beijos <3

    http://livros-cores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Oiii Danni,
    Ainda não li nada da Cabot como Patricia, maaaas sempre que lança um fico de botuca. :o
    Esse aqui tem o fator capa linda, mais piratas. Dani surtando!!! E ainda mais por ser uma mocinha pirata. Já imaginei a cena do jantar, a descoberta de "temos uma garota a bordo". haha
    Esse rapaz já saberá no que está se metendo, hein?
    Adorei a premissa.

    Minha Velha estante
    Leitura Nossa de Cada Dia

    ResponderExcluir
  4. Adoro os livros juvenis da Meg. Estou super curiosa para ler como Patricia,pois além de amar a sua forma de escrita amo mais ainda romances históricos. Com a sua resenha a minha curiosidade para ler esse livro aumentou ainda mais.Ah,acho lindíssima a capa também.

    http://entrelinhasalways.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Translate

Garotos são bem-vindos!

Google+ Badge