Garotas e livros

Reconstruindo Amélia - Kimberly McCreight

Por 13:51 3 comentários

O desespero de uma mãe ao saber que sua filha adolescente se suicidou é tamanho. Como deve ser para qualquer um. A sensação de que não formos capazes de identificar o sofrimento de outra pessoa, de que não pudemos ajudá-la a passar por situações que levaram a este ato deve ser terrível, principalmente para uma mãe. E quando você começa a aceitar tudo o que houve, você recebe uma mensagem anônima dizendo que não foi suicídio? Que Sua filha não se jogou?

Kate Baron, uma bem-sucedida advo­gada, está no meio de uma das reuniões mais importantes de sua carreira quando recebe um telefonema. Sua filha, Amelia, foi suspensa por três dias do Grace Hall, o exclusivo colégio particular onde estuda. Como isso foi acontecer? O que sua sensata e inteligente filha de 15 anos poderia ter feito de errado para merecer a punição?Sua incredulidade, no entanto, vai aos poucos se transformando em pavor ao deparar, no caminho para o colégio, com um carro de bombeiros, uma dúzia de policiais e uma ambulância com as luzes desligadas e portas fechadas.Amelia está morta.Aparentemente incapaz de lidar com a suspensão, a garota subiu no telhado e se jogou. O atraso de Kate para chegar a Grace Hall foi tempo suficiente para o suicídio. Pelo menos essa é a versão do colégio e da polícia.Em choque, Kate tenta compreender por que Amelia decidiu pôr fim à própria vida. Por tantos anos, as duas sempre estiveram unidas para enfrentar qualquer problema. Por que aquele ato impulsivo agora?Suas convicções sobre a tragédia e a pró­pria filha estão prestes a mudar quan­do, pouco tempo depois do funeral, ela recebe uma mensagem de texto no celular:Amelia não pulou.Alternando a história de Kate com registros do blog, e-mails e posts no Fa­cebook da filha, Reconstruindo Amelia é um thriller empolgante que vai surpreender o leitor até a última página.
Título original: Reconstructing Amelia
Autor: Kimberly McCreight
Editora: Arqueiro
Ano: 2014 
Páginas: 351
Há muitas definições para a palavra idiota no dicionário. Não seja mais uma.


Reconstruindo Amélia se mostra uma investigação interessantíssima. A partir do momento que Kate Baron, mãe solteira e advogada em tempo integral, aceita que a morte da filha não foi o que a polícia diz, ela decide reconstruir os passos da filha, buscar detalhes e informações que a polícia deixou passar e investigar fundo o que aconteceu. Mas quando procura o policial responsável pela investigação, ele simplesmente saiu da companhia, deixando uma pulga atrás da orelha de Kate.

"Afinal, não foi só um erro, uma única vez. Foi um verão de más escolhas provocada por uma vida inteira fazendo as escolhas certas. Pelo visto, eu só conheço um jeito de errar: magnificamente."

Uma perícia feita sobre um recado no local do suicídio diz que a caligrafia não é de Amélia, o que coloca o caso nas mãos de outro investigador, que se mostra bem mais disposto a encontrar as respostas. O livro nos dá duas perspectivas, com capítulos alternando entre Kate e Amélia. Com Kate, vemos a situação em terceira pessoa, a partir do momento de sua perda e toda a investigação até chegar à sua finalização. Com Amélia, a visão é em primeira pessoa. Então acompanhamos de perto como tudo aconteceu. Estudante de uma escola de grande renome, Amélia não era ninguém além de uma nerd, até ser chamada para fazer parte de um dos grupos secretos da escola, as Magpies. Um grupo só para meninas, em que, para entrar, tinham que fazer alguns desafios. Nada simples e que contradizia com o comportamento perfeito de Amélia.

"As vezes é difícil perceber a velocidade da corrente até você se ver no topo de uma cachoeira."

Mas uma paixão a faz querer ficar no grupo. As emoções adolescente falam mais alto que a razão. Sua melhor amiga, Sylvia, é até deixada de lado. Estar no grupo é sinônimo de manter segredo. Ninguém jamais pode saber. Um amigo virtual, namoros, intrigas, amizade, homossexualismo e bullying. Muito bullying. A cada capítulo de Amélia vemos algumas das mensagens dela com algum de seus amigos e alguma postagem do Facebook. Vamos identificando vários momentos que levam até o desfecho final. Até ela estar em cima do prédio da escola. Até que tudo aconteça. 

"Era a primeira vez que eu vira Dylan desse jeito. furiosa e meio que disposta a brigar. E tudo para me defender. Meu coração parecia prestes a explodir. O beijo tinha significado alguma coisa, afinal. Agora eu tinha certeza."
Gostei bastante do suspense, da corrida desenfreada da mãe pela busca de respostas e do verdadeiro motivo que levou à tudo isso. Foi emociante viver as descobertas de Amélia, como adolescente e triste ver os motivos pelo qual tudo chegou onde chegou. É um livro recomendadíssimo! Emocionante do começo ao fim, Reconstruindo Amélia leva o leitor a pensar sobre até onde contamos o que vivemos. Até onde as pessoas estão por dentro do que se passa em nossas vidas? Em que momento paramos para pedir ajuda? Até onde revelamos o que fazemos e o que realmente sentimos? 

Leiam! Vale a pena!


Você Deve Gostar Disto:

3 comentários

  1. Esse livro é muito bom. Me identifiquei com ele porque também sofri bullying. Quero muito!

    ResponderExcluir
  2. Nunca gostei muito de policiais, no entanto, de á um tempo para cá tenho gostado de tipos de livros como Reconstruindo Amélia, que apesar de não serem apenas policial, tem um leve toque.
    Beijooo
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  3. Oi Danni, não consegui largar o livro enquanto não li tudo. Que suspense para descobrir o que realmente aconteceu, mas confesso que uns 3 capítulos antes do término eu dei meu palpite e acertei.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir

Translate

Garotos são bem-vindos!

Google+ Badge