Garotas e livros

O Doador de Memórias - Lois Lowry

Por 22:40 2 comentários

Já imaginou um mundo perfeito? Sem miséria, sem desigualdade social, sem conflitos, sem medo, sem fome, com educação e emprego para todos? Com a família ideal, onde todos mantém um respeito mútuo, onde as crianças são bem cuidadas e não existe futuro incerto? Demais, não? E se para isso, tivéssemos um preço? Se para viver nesta vida perfeita, teríamos que abrir mão de nossa memória?

Ganhadora de vários prêmios, Lois Lowry contrói um mundo aparentemente ideal onde não existe dor, desigualdade, guerra nem qualquer tipo de conflito. Por outro lado, também não existe amor, desejo ou alegria genuína. Os habitantes da pequena comunidade, satisfeitos com suas vidas ordenadas, pacatas e estáveis, conhecem apenas o agora - o passado e todas as lembranças do antigo mundo foram apagados de suas mentes. Uma única pessoa é encarregada de ser o guardião dessas memórias, com o objetivo de proteger o povo do sofrimento e, ao mesmo tempo, ter a sabedoria necessária para orientar os dirigentes da sociedade em momentos difíceis. Aos 12 anos, idade em que toda criança é designada à profissão que irá seguir, Jonas recebe a honra de se tornar o próximo guardião. Ele é avisado de que precisará passar por um treinamento difícil, que exigirá coragem, disciplina e muita força, mas não faz idéia de que seu mundo nunca mais será o mesmo. Orientado pelo velho Doador, Jonas descobre pouco a pouco o universo extraordinário que lhe fora roubado. Como uma névoa que vai se dissipando, a terrível realidade por trás daquela utopia começa a se revelar.
Título original: The Giver
Autor: Lois Lowry
Editora: Editora Arqueiro
Ano: 2014
Páginas: 190
"Pensei que só nós existíssemos. Achei que só existisse o agora."
Vemos muita distopia. Desigualdade, miséria, controle nas mãos de um grupo seleto. Mas a utopia, quando tudo está organizado perfeitamente, é uma fantasia. Por mais bonito que seja, é praticamente irrealizável. Mas uma pequena comunidade vive isso, vive a Mesmice. Em troca, não existem emoções. Não existem lembranças. Conhecem a vida assim, do jeito que ela é, nesta aparente perfeição. Mas para isso, seus antepassados tiveram que abrir mão das lembranças de tudo o que vivemos. Das lutas, da miséria, das guerras, de um pôr do sol, de um banho de chuva, do amor. Privaram-se de todas as coisas. Vivem em um mundo preto e branco, literalmente. Eles não enxergam cor. Não conhecem o verdadeiro significado de amar, de família. Sol? Neve? Chuva? Eles foram privados disto, mesmo sem saberem. Os sentimentos são mascarados e no decorrer da trama vamos sendo mostrados a isso.

"Eles nunca experimentaram a dor."

Mas uma única pessoa é encarregado de manter e LEMBRAR deste legado, do nosso passado e nossa história. O Guardião é a pessoa mais respeitada da sociedade. Vive isolado, estudando, e relembrando cada momento vivido por séculos. É o único capaz disto. O único que tem poder de ler livros. O único que vive e sente toda dor que o ser humano já viveu, mas também, é o único que sentiu e sente as coisas maravilhosas que a vida nos proporciona. O nascer do sol, um velejar no mar, o cheiro de uma rosa, o sentimento de felicidade. O amor. Somente uma pessoa nesta sociedade tem esta profissão. 

Aos 12 anos, cada criança é designada a ser aprendiz de um cargo. E Jonas será o novo Guardião. Ele passa a receber estas memórias e a cada vez que o Doador lhe dá aquilo que um dia recebeu, ele tira essa lembrança de si. Ele passa a ser o Recebedor, mas Jonas não se conforma com isso, com todos serem privados de todas as lembranças. Do mundo que existiu e que talvez exista ainda. Será que vale a pena livrar todos da dor que houve um dia, privando-os também do amor e de todas as coisas lindas que Jonas passa a conhecer?

"O pior de ser quem guarda as lembranças não é a dor que se sente. É a solidão. As lembranças precisam ser partilhadas."

O livro nos faz refletir sobre o quê dá sentindo a vida. Não é o conjunto? As coisas boas e ruins? Acredito que todos queríamos nos livrar do mal, da dor, da destruição. Mas será que vale a pena se, juntamente com isso forem embora nossos sonhos? Nossos desejos? Qual a essência de tudo? Pelo o quê vale a pena lutar? Eis um garoto de 12 anos tem que tomar uma decisão que mudará para sempre a vida de todos. 
A construção desta obra incrível é perfeita. Adorei todos os personagens e como o autor consegue nos deixar perplexos com o que eles não vivenciam, como poderíamos viver sem as coisas mais simples. O livro termina tipo assim... HÃ?  É. Daí que a Editora Arqueiro já avisou que o próximo será lançado no próximo mês! \o/ Leiam e se deixem levar pelas memórias! 

Você Deve Gostar Disto:

2 comentários

  1. Oi Danni, não li o livro, mas vi o filme ontem e gostei muito, mesmo com alguns "como" que para mim ficaram em aberto. Talvez no livro tenha sido explicado melhor.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  2. Oi tudo bem? :)
    Todo o mundo fala sobre esse livro/filme e eu estou a começar a render-me à curiosidade.

    Aproveito para dar uma notícia também. Este ano decidi organizar um amigo secreto literário no meu blog e adorava que participasse. É só ir no blog e ver o mais recente post que lá está tudo explicadinho.

    Beijo, Jessie
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir

Translate

Garotos são bem-vindos!

Google+ Badge