Garotas e livros

O eterno namorado - Nora Roberts

Por 12:36 0 comentários

- Bom, agora é oficial - falou, com um sorriso. - Bem vindos à Pousada Boonsboro."

Essa é a segunda trilogia que leio da Nora Roberts e ela sempre me encanta com sua escrita fluida e seus romances doces e cativantes. Na trilogia A Pousada, ela nos trouxe os três irmãos Montgomery e seus respectivos começo de relacionamentos. No primeiro livro, Um novo amanhã, conhecemos a história de Beckett. Já neste, Owen, o irmão mais centrado, organizado e perfeccionista, toma a vez e é meio impossível não se encantar com seu jeito. Espero ainda mais por Ryder, o mais durão de todos.


Tudo o que acontece na vida de Owen Montgomery é meticulosamente organizado em uma planilha ou lista de tarefas. No trabalho não é diferente, e é graças a sua obsessão por ordem que a Pousada Boonsboro está prestes a ser inaugurada – dentro do cronograma. 

A única coisa que Owen jamais previu foi o efeito que Avery MacTavish teria sobre ele. A proprietária da pizzaria em frente à pousada sempre foi amiga da família e agora, enquanto vê em primeira mão a fantástica reforma pela qual o lugar está passando, também observa a mudança gradativa de seus sentimentos por Owen. 

Os dois foram namorados de infância, e desde então tinham estado bem distantes dos pensamentos um do outro. O desejo que começa a surgir entre eles, porém, não tem nada de inocente e é impossível de ignorar. 

Enquanto Owen e Avery decidem se render à paixão e levar seu relacionamento a um nível mais sério, a inauguração da pousada se aproxima e dá a toda a cidade um motivo para comemorar. Mas quando os traumas do passado de Avery batem à porta e a impedem de se entregar, Owen sabe que seu trabalho está longe de terminar. Agora ele precisa convencê-la a baixar a guarda e perceber que aquele que foi seu primeiro amor pode também ser seu eterno namorado.

Título original: The last boyfriend
Autor: Nora Roberts
Editora: Arqueiro
Ano: 2016
Páginas: 304


Primeira frase do livro:
"Uma lua cheia de inverno brilhava sobre as pedras antigas e os tijolos da pousada que ficava na praça"


Owen Montgomery pode ser considerado o "líder" dos irmãos, o que organiza, separa, delega trabalhos e deixa tudo esquematizado. O ser mais pensante, talvez. Tão pensante às vezes que dá uma vontade de dar um empurrãozinho de "vai lá e faz logo, caramba! Para de enrolar!". Ele sempre foi muito amigo de Avery MacTavish, a dona do Vesta, pizzaria vizinha à pousada. Cresceram juntos, brincaram juntos e até "casaram" quando ela tinha uns cinco anos de idade. Owen pensa antes de agir. Avery é impulsiva. O amor que sempre houve entre eles começa a passar do nível de amizade para um romance, na dúvida do que poderia acontecer sem estragar o relacionamento que eles tem. E tudo começa com um empurrãozinho de um fantasma, literalmente.

"Como posso saber o que deixa uma mulher irritada? [...] É impossível saber, porque pode ser qualquer coisinha, é um mistério insondável. E, no dia seguinte aquela coisinha pode ser ótima, aí aparece outra maldita coisinha qualquer. Nenhum homem sabe"
(Pág. 56)


Assim como no primeiro livro, achei o romance fofo, mas confesso que me cansou bastante. Aquele vai-não-vai durou a maior parte do tempo, muitas voltas para um finalmente. É doce, é real até. Você sente a dúvida entre dois amigos de possivelmente estragar uma amizade de anos com um romance que pode não dar certo. Mas eles são perfeitos um para o outro e todo mundo enxerga isso, menos os dois. Eu demorei horrores pra ler este livro mas me dediquei em ir até o fim porque gosto da trama, da história e da escrita da Nora, porém foi um casal muito fraco. Você passa grande parte do livro esperando algo que balance as estruturas e nos tire do chão, chocados com acontecimentos que não vão ocorrer. A autora podia ter usado algum elemento que desse um drama a mais, talvez agitasse mai a história. Owen pensa demais em tudo e cada coisa e a ideia é que ele fosse o oposto da tempestuosa Avery, que é o que tornaria o casal fofo. Mas ela resmunga muito pra si mesma e fica tão retraída quanto ele por diversas vezes. Dois amigos tão diferentes mas que tem tanto em comum ao mesmo tempo. 

"Ele planejava, previa, calculava. Era o que fazia, tanto na vida pessoal como no trabalho. Mas não conseguia elaborar um planejamento com Avery, não via com clareza o suficiente o caminho a ser trilhado para poder antecipar o próximo passo, calcular o movimento seguinte."
(Pág. 201)


No decorrer da história a gente consegue acompanhar mais dos outros personagens, irmãos e amigos envolvidos na trama e ainda sentir a possível tensão que provavelmente virá no casal seguinte, o que me animou. Uma das coisas que gostei foi o mistério sobre a tal fantasma, Lizzie, que assombra, de maneira boa, a pousada. Caracterizada pelo cheiro de madressilvas quando ela está presente, ela aparece para eles e durante a trama, sua história vai sendo revelada. Quem ela é e o que lhe aconteceu. E quem é esse Billy por quem ela tanto chama. Mesmo o plano de destaque sendo Owen e Avery, os outros personagens continuam em construção e é gostoso ver essa família de irmãos e amigas crescer e se unir cada vez mais. A enfim inauguração da pousada pode trazer mais movimento a história no livro do Ry.

"Avery tinha dito que ele não conseguia entender, mas estava enganada. Ninguém precisa vivenciar uma dor para entendê-la."
(Pág. 242)

Cada livro traz uma história familiar a ser desvendada, ou uma ferida a ser curada, ou um momento a ser aceito. Junto a isso, mostram o crescimento profissional de cada um e mulheres assumindo grande posição em seus cargos e à frente de seus sonhos, sempre batalhando por mais. Os irmãos são amor puro e eu realmente queria um pra mim. Por que não, né? O livro está impecável, diagramação toda linda e cada seguindo o mesmo estilo da primeira. Uma leitura para um dia preguiçoso, um romance  bem água com açúcar e fofinho.  Recomendo pra quem não está querendo fortes emoções em um romance.


Você Deve Gostar Disto:

0 comentários

Translate

Garotos são bem-vindos!

Google+ Badge