Garotas e livros

Princesas GPower

Por 15:11 0 comentários


Uma estudante de medicina encontra o amor verdadeiro. Uma jovem órfã descobre que seus pais estão vivos. Uma moça com medo do mar se arrisca em um cruzeiro. Uma garota acha o seu lugar em uma nova cidade. Estar acima do peso não impede essas protagonistas fortes e empoderadas de viverem aventuras incríveis, dignas dos mais belos contos de fadas. Kai, Rosa, Cindy e Malena são verdadeiras princesas de suas próprias histórias, merecedoras de príncipes encantados, bailes, mistérios e sapatos de cristal. Com tramas leves e divertidas, Janaina Rico, Larissa Siriani, Mila Wander e Thati Machado mostrarão que existe apenas uma regra para sermos verdadeiras princesas: temos que nos permitir um felizes para sempre.


Cindy, em busca do felizes para sempre - Inspirado na história de "Cinderela" | Janaína Rico


Sabe a história da Cinderela? A da Cindy tem uma vida mais lascada que a dela.
Tudo bem que esta história é uma releitura, tem toda a mesma essência. Mas quando a gente olha na perspectiva atual dos problemas, crises e situações que uma jovem enfrentaria nos dias de hoje, a gente se dá conta do quanto a protagonista sofreu. E ela foi muito forte pra aguentar tudo pelo que passou, viu? Eu teria me rebelado e saído na porrada com as minhas "irmãs" e até a madrasta. Janaína Rico me arrebata e me impressiona, na maneira que nos apresenta a vida dessa jovem que teve que passar por tanta coisa na vida até seu Felizes para sempre. 

"Cindy, não há problema algum em ser gorda. E também não há mal algum em ser magra. Problema mesmo é ser alguém má e fazer alguma coisa para prejudicar os outros, sentir inveja."


Se não foi fácil para mim, imagina para quem vivencia tudo isso? É complicado ter que lidar com tanta coisa e manter as mãos longe do pescoço de pessoas. Mas ela é boazinha. Eu talvez não seja tanto assim. hehehehe A forma como a personagem cresce e demonstra que não se deixa abater por pessoas tão cruéis é inspiradora. Cindy tem muito a nos ensinar, espero ter aprendido com ela.

O mais interessante nisso tudo é a proposta das autoras de apresentarem suas princesas gordas. Sim, por que não? É só um corpo, é só um formato físico, é só mais uma característica que deveria ser normal apresentar. Mas porque temos tão poucos personagens assim? Tão poucas protagonistas com suas crises normais e problemas reais, e amores verdadeiros, porém gordas? Raro né? É sim.

Era uma vez, num sonho - Inspirado na história de "A Bela Adormecida" | Larissa Siriani


Rosa era uma garota linda, sonhadora e detentora de uma voz incrível. Ela adorava cantar, tocar violão e usar internet. Mas vivia cercada por tias maravilhosas e anti-tecnologias. Nada disso era permitido em casa. Computador, celular, internet? Não mesmo. Só eletrodomésticos básicos. TV só na hora da novela. Ela nunca entendeu bem o porque, mas tinha um celular que ganhou da amiga e usava escondido. Era o suficiente por enquanto. Letícia, sua melhor amiga e ela, tinham um canal no YouTube onde postavam vídeos da Rosa tocando e cantando. Ela não mostrava o rosto nem dizia o nome. Não por vergonha, mas por receio das tias descobrirem. Embora sempre tivesse comentários maldosos sobre seu corpo e seu peso, as pessoas adoravam e elogiavam bastante seus vídeos.  Mas tinha aquele sonho recorrente, o cara sem rosto que ela nunca viu na vida, mas todo dia aparecia para ela enquanto dormia.

"Felipe. Era um nome lindo, tão lindo quanto ele. Repeti seu nome na minha mente, saboreando as sílabas, vendo como se encaixavam perfeitamente em meus sonhos e na ideia que eu fazia dele."

O que acontece então quando, no meio da estrada, ela se depara com um carro quebrado e o cara dos sonhos parado na pista? Ela tinha certeza que era ele. Mas quem seria? O que estaria fazendo ali? Quando aos poucos descobre que ele sabe mais sobre ela do que ela própria, seu mundo aparentemente seguro começa a se desfazer. Há histórias jamais contadas e verdades a serem ditas. E Rosa vai ter que aprender a conhecer toda uma nova vida. Foi uma história linda que a Larissa Siriani trouxe, e eu não podia amar mais cada momento dessa personagem tão doce!


O oceano em mim - Inspirado na história de "A Pequena Sereia" | Mila Wander


Acho que a minha história favorita desse livro. Mas fica difícil dizer quando tantas autoras talentosas trazem histórias tão lindas. Kai odiava praia, piscina, rios, cachoeiras ou tudo que envolvesse aquela imensidão de água. Algo mudou dentro dela quando era mais nova, quando ainda amava o mar, e até hoje entra em pânico só de imaginar. Mas foi convencida pela amiga Gioavana a ir num cruzeiro em Fernando de Noronha. Pânico para todos os lados. Ela só queria ficar no quarto e com as janelas fechadas para não ver o infinito azul lá fora.

"Refleti muito até, enfim, perceber que não era o meu corpo o que mais me entristecia. Sinceramente, até gostava dele. O problema era me importar demais com o que as outras pessoas achavam ao meu respeito."

Até que ela ouviu aquela música. A sua música. A que sua avó cantava para ela, que sua avó criou. Que tipo de pagadinha de mal gosto sua amiga havia aprontado? De quem era aquela voz linda cantando e a chamando para o mar, seu verdadeiro lar? Assustada, enjoada e saudosa, ela quer mais é encher a cara e esquecer do resto. Até que ouve alguém no mar. Ela vê. Mas o que ela vê é impossível. Ela só podia estar bêbada demais. A aventura dessa protagonista linda e encantadora é maravilhosa. Você ri e se emociona todo o tempo. Sente raiva, chora e torce para que Kai realmente encontre a si mesma e passe a se amar como quem a ama de verdade a enxerga.

Malena - Inspirada na história de "Malévola" | Tathi Machado


Lena sai de uma cidade pequena, de uma escola acolhedora, para morar na capital. Casa menor e escola muito maior, ela está meio despreparada para o que está por vir. Mas enquanto olha o mar de alunos entrando naquele prédio imenso, um carinha lhe dá boas vindas e a aconselha a passar despercebida. Ela não gosta da ideia, sempre foi conhecida e amiga de todos na antiga escola. Mas, de acordo com ele, nerds (e gordos) são motivos de chacota. Ela acata a ideia e eles acabam se tornando bons amigos.

"– É só que... Não consigo entender, Lena. Para mim parece tão óbvio: se você não tem nada de bom a dizer, não diga nada. Qual é o prazer em ser cruel com as pessoas?"


Estéfano é um cara legal. Ou Téfo. Ele começa a fazer parte dos seus dias muito rápido e ela adora cada momento. Lena tem mãos de fada quando se trata em edição de imagens, é boa com um computador e apaixonada por livros. Suas amigas da antiga escola ainda são presentes, mesmo que de longe. O que ela não esperava era que seu coração fosse tão machucado como nunca foi. A vida tem dessas manias de virar todo nosso mundo de cabeça para baixo e ela não está disposta a deixar isso passar batido. Vingança é um prato que se come frio, não é? Os aprendizados que ela e nós também temos com essa reviravolta é maravilhoso. Ela é uma protagonista forte e decidia e gosto muito disso nela. A autora soube dosar o romance, amizade e o poder das nossas escolhas numa trama linda.

"[...] As pessoas ficam me encarando e volta e meia me dizem que eu ficaria ótima se emagrecesse. Às vezes, esse tipo de comentário parte dos meus próprios pais. Quando seus amigos dizem algo sobre meu peso, parece que eles ficam se desculpando pelo fato de terem uma filha gorda. Isso me enfurece, porque não peço a opinião de ninguém. Trata-se do MEU corpo. APENAS MEU! Algumas pessoas tentam ser mais gentis dizendo que tenho um rosto lindo, mas falham miseravelmente. NÃO SOU SÓ UM ROSTO. Não é possível que alguém ache que isso é um elogio."

O livro é apenas um romance com pessoas reais, jovens como qualquer uma outra, com sentimentos pelo qual passamos, momentos comuns, amores, sonhos, incertezas e uma complicada auto estima que enfrentei minha vida toda, até hoje. E não é apenas algo vivido por gente gorda, mas por todos nós, branco, preto, magro, baixo, alto, pessoas, seres humanos. A forma física das personagens é só para nos mostrar que também podemos ser protagonistas de histórias, de nossas histórias. Afinal, o corpo é só uma casca. A proposta de trazer protagonistas gordas empoderadas, fortes, e também mocinhas que aprenderam a dar a volta por cima é linda. É um livro incrível que você lê numa 'sentada'. Eu amei cada detalhe, cada página, a diagramação está linda e a edição perfeita. É um dos meus favoritos da vida! Obrigada por me proporcionarem uma leitura tão maravilhosa, autoras! ❤

     

Você Deve Gostar Disto:

0 comentários

Translate

Garotos são bem-vindos!

Google+ Badge