Garotas e livros

Contagem Regressiva - Ken Follett

Por 10:30 0 comentários

O que mais gosto das histórias do Ken Follett é a maneira como ele nos mostra fatos históricos reais intercalados na ficção que ele cria. Por mais que a obra narrada contenha fatos não reais, tudo que vemos é passível de acontecer, tudo é muito provável. Os personagens, com todas suas características e sua história, beiram a realidade do momento histórico apresentado. E isso deixa tudo muito mais interessante.

Certa manhã, um homem acorda no chão de uma estação de trem, sem saber como foi parar ali. Não faz ideia de onde mora nem o que faz para viver. Não lembra sequer o próprio nome. Quando se convence de que é um morador de rua que sofre de alcoolismo, uma matéria no jornal sobre o lançamento de um satélite chama sua atenção e o faz desconfiar de que sua situação não é o que parece.
O ano é 1958 e os Estados Unidos estão prestes a lançar seu primeiro satélite, numa tentativa desesperada de se equiparar à União Soviética, com seu Sputnik, e recuperar a liderança na corrida espacial.
À medida que Luke remonta a história da própria vida e junta as peças do que está por trás de sua amnésia, percebe que seu destino está ligado ao foguete que será disparado dali a algumas horas em Cabo Canaveral.
Ao mesmo tempo, descobre segredos muito bem guardados sobre sua esposa, seu melhor amigo e a mulher que ele um dia amou mais que tudo. Em meio a mentiras, traição e a ameaça real de controle da mente, Luke precisa correr contra o tempo para conter a onda de destruição que se aproxima a cada segundo.
Título original: Code to zero
Autor: Ken Follett
Editora: Arqueiro
Ano: 2018
Páginas: 320
Adicione: Skoob

Primeiro frase do livro:
"Ele acordou com medo."



É relativamente estranho acordar deitado no chão de um banheiro público sem nem lembrar de como foi parar ali. Ou sem saber quem é, o que faz, onde mora e o que aconteceu com sua memória. Ele é mais um bêbado na rua perdido em si mesmo? Um estranho justifica seu estado com uma bebedeira infindável, e é nisso que Luke acredita, já que o cara sabe até seu nome, algo que nem ele lembra. Vagando pelas ruas tentando resgatar suas lembranças e os últimos acontecimentos, Luke aos poucos vai notando coisas sobre si, reconhecendo algumas habilidades e percebe que está sendo vigiado. A partir daí vamos acompanhando a jornada para descobrir quem ele realmente, no atual cenário político e econômico que se vive.

"O que havia acontecido na noite anterior? Não conseguia lembrar.
O medo histérico começou a retornar quando percebeu que não conseguia se lembrar de nada."

O pano de fundo da vez é a Guerra Fria, o conflito entre EUA e a URSS, ambas disputando por quem dominará o espaço primeiro. A URSS sai na frente com o famoso Sputnik, enquanto isso, os EUA apostam todas as suas fichas no lançamento de seu primeiro foguete. É neste cenário que vamos conhecendo outros personagens centrais, que são intercalados entre capítulos. O livro nos apresenta os fatos de antes, no ano de 1940 com o ano de 1958. É entrelaçando passado com presente que vamos conhecendo mais dos personagens e tentando entender como todos chegaram na posição que estão hoje e o motivo dessa falta de memória de Luke. Não sabemos quem ele é, a qual lado ele verdadeiramente pertence, e com o decorrer dos fatos até ele mesmo duvida que seja a pessoa que vai descobrindo ser. Que decisões os levaram até ali? Em quem confiar? Quem ele realmente ama? O tempo está correndo e as páginas voam com o perpassar da história.

"Mais uma vez Luke pensou se estava imaginando coisas. Tinha acordado num mundo desconcertante onde qualquer coisa podia ser verdade."

É realmente uma contagem regressiva, tanto que os capítulos são horas, é um verdadeiro cronômetro. Apesar de achar o começo um pouco lento, entendemos isso por estarmos acompanhando o redescobrir de Luke. E a partir do momento que as coisas para ele vão sendo colocadas em evidência, mais rápido a leitura flui, mais acelerada fica a trama e ficamos aflitos querendo saber o desenrolar de tudo. Eu particularmente gosto muito de história e ver mais "de perto" esses fatos só aumentam minha curiosidade. Espionagem, teorias conspiratórias, conflitos, segredos, aquela ação que te faz não querer mais largar de ler e a dose de romance sempre presente, mas nunca como ponto principal, tudo é muito bem equilibrado. Os livros do Follett são repletos disso e o embasamento histórico é maravilho. A gente nota a profundidade do estudo para traçar os aspectos expressos no livro. 

"Em algum lugar  no fundo da mente uma voz lhe dizia que ele estava jogando fora a coisa mais preciosa que já tivera, e alertava que aquela conversa lhe causaria um pesar tão profundo que torturaria sua alma durante anos."
Como todos os outros livro do autor, eu recomendo bastante. Para os fãs de Follett, mais um para ser lido. Para quem curte thrillers, e temas afins, é mais uma obra ótima de se ler. A escrita dele sempre nos envolve e apesar de se tratar de um livro histórico, nada aqui é cansativo de se ver e entender. A edição está impecável e eu adorei a capa da Arqueiro. Lembrando que esse livro tinha sido lançado em 2001 pela Rocco com o título Código Explosivo. Eu já fico no aguardo de mais livros do Ken Follet! 

   


Você Deve Gostar Disto:

0 comentários

Translate

Garotos são bem-vindos!