Garotas e livros

Mensageira da sorte - Fernanda Nia

Por 11:30 0 comentários

"Éramos PHD em memes da internet, e o que a zoeira une, nem o diabo consegue separar."

Eu simplesmente adoro ver histórias diferentes e situações nem tão imagináveis. Onde já se viu um Departamento de Correção da Sorte? Tudo bem, vemos muitas secretarias e setores inúteis na administração do país, mas que controlam a sorte? Quando há um desequilíbrio de sorte em alguma pessoa, esse departamento está apto para nivelar essa situação. Se você está tendo muito azar, se nada na sua vida está dando certo e tudo parece continuar seguindo um fluxo de desastres, você provavelmente está na lista de pessoas do Departamento. O problema é que mesmo tendo um órgão exclusivo para isso, ele ainda não pode atender a dementa de azarentos.

A SORTE É IMPREVISÍVEL.
Em pleno Carnaval carioca, durante uma confusão em um protesto contra a AlCorp – uma corporação que controla o preço dos alimentos e medicamentos no país – Cassandra Lira, ou Sam, passa a ser uma mensageira temporária no Departamento de Correção de Sorte (DCS), uma organização extranatural secreta incumbida de nivelar o azar na vida das pessoas.

Para manter esse equilíbrio, os mensageiros devem distribuir presságios de sorte ou azar para alguns escolhidos. O primeiro "cliente" de Sam é justamente o seu vizinho e colega de classe, Leandro. O garoto é um youtuber em ascensão e a ajuda dela, na forma de uma mensagem sobre nada menos que paçocas, impulsiona Leandro a fazer um vídeo que o levará para o auge da fama. O que Sam não sabe é que o rapaz também é um ávido participante dos protestos contra os abusos da AlCorp, comprometido a expô-los em seu canal, independentemente dos riscos que possa correr, e a garota se vê obrigada a usar a sorte do DCS para protegê-lo.

Mesmo que não entenda por que foi escolhida para trabalhar para o Destino, logo ela se vê no meio de uma rede de intriga, corrupção e poder.

Ainda lidando com a culpa pela morte do próprio pai e com seus sentimentos por Leandro, Sam embarcará na jornada de desmascarar a quadrilha que está deteriorando o sistema da Justiça, tanto a natural quanto a extranatural, e fazer com que a balança do Destino se equilibre outra vez.
Título: A mensageira da sorte
Autora: Fernanda Nia
Editora: Plataforma21
Ano: 2018
Páginas: 423
Adicione: Skoob

Primeira frase do livro:
"É difícil não acreditar em sorte ou azar quando a vida é infestada por eles."

O Departamento de Correção de Sorte é um órgão extranatural que meio que sorteia alguns dos azarentos e dá uma dose de sorte a pessoa. Ele trabalha com pessoas comuns, como nós, com contratos de trabalho e de confidenciabilidade. Essas pessoas são Mensageiras, que entregam algum recado ou ajudam a pessoa escolhida para a sorte do dia. No meio de um protesto contra a empresa AlCorp, em pleno carnaval carioca, Cassandra (Sam) passa a ser uma mensageira temporária, e seu primeiro cliente é seu novo vizinho e colega de classe, o Youtuber em ascensão Leandro. A mensagem que ela tem que entregar é "Paçoca". Mensagem que acaba ajudando o garoto a dar uma visibilidade imensa ao seu canal.

"Meu hipotálamo disparou mais umas cinco doses de adrenalina com isso. A mulher já estava dando como certo eu ser oficialmente a mais nova integrante daquele Sedex mágico de boas vibes."

O livro traz na história um momento caótico quando uma empresa internacional controla e regula o preço de remédios, o que vem ocasionando diversos protestos na cidade do Rio de Janeiro pelos altos custos que ela vem repassando a população. O povo sofre com os preços abusivos e o governo não se envolve, perderam o domínio e autoridade devido ao mar de corrupções. O que resta é a população ir para a rua protestar, tentar lutar por seus direitos. Porém a AlCorp revida com brutais contenções nos protestos. 

"[...] É o que a pessoa tem a dizer, e não o que ela aparenta ser, que nos entrega as peças do quebra-cabeças que a define de verdade. Por mais que seja impossível completá-lo, quanto mais ouvimos, e quanto mais peças juntamos, mais podemos entender quem aquela pessoa realmente é."

Quando Sam descobre que Leandro é totalmente engajado nos protestos, ela fica entre tentar ajudá-lo com a sorte que ela passa a ter, ou fugir desesperadamente da culpa e da dor que lhe causa sempre que houve falar de algum protesto contra a AlCorp. A todo momento o livro nos faz pensar na frase "Qualquer semelhança é mera coincidência". Nosso atual cenário político tão crítico é quase fielmente retratado na obra. Momentos e situações contra o povo nos dá aquele Dejavú toda vez que lemos. Sam é uma adolescente que passou por algo recentemente e tenta seguir em frente e o que menos queria era sair por aí dando doses de sorte aos escolhidos quando sua vida foi bem abalada pelo azar. Leandro é alguém que tenta fazer o certo e falar algumas verdades através do seu canal do YouTube depois de perder alguém importante. Os dois tem dores parecidas e veem um no outro alguém que podia entendê-los.

"- Eu tenho que ir aos protestos. Você não entende. - Ele balançou a cabeça. - Não é porque tem um risco no caminho que vou deixar de lutar pelo que eu acho certo, Sam. Pelo que eu preciso lutar. Se todos ficassem na segurança dos seus sofás para sempre, nada no mundo mudaria."



"[...] Corresponder aos sentimentos de alguém sempre significa entregar um pouco de você mesmo para o outro. E não estava pronta para deixar alguém explorar quem eu realmente era tão minuciosamente assim."

O livro é uma mistura de ação, romance, comédia e uma boa dose de realidade. Sam é uma personagem que tem um crescimento visível durante o livro e o modo como ela enfrenta seu passado é muito comum a todos nós. O sarcasmo presente na obra é muito divertido e ver ela trabalhando como mensageira é ótimo. O Leandro é um fofo e muito sensato, lutando por ideias justos, e a gente só quer ver os dois juntos porque são um casal muito lindo! A trama foi muito bem construída, adorei a ideia de existir esse departamento de correção da sorte e como tudo foi arquitetado. Porém achei que o livro se estendeu um pouco demais. Algumas páginas foi mais repetição do que a gente já tinha visto para enfim chegar ao grande fim. Sabe quando está no ápice da coisa, tudo prestes a acontecer e você vai ver quantas páginas faltam para acabar porque provavelmente são pouquíssimas? Então, quando fiz isso faltavam várias! Foi esse intervalo que achei meio desnecessário, repetitivo. Podia passar sem ele, mas não atrapalha a leitura de forma alguma.

"Culpa é um sentimento complicado. Eu sei que a gente acaba sentindo sem querer. Mas, no fim, a vida não está sob o nosso controle. Desgraças acontecem. A gente só precisa aprender a remediá-las depois."

A escrita da Fernanda Nia é muito gostosa e eu adorei poder conhecer sua obra. A revisão está impecável e a diagramação toda perfeita. O que falar dessa capa, então? Maravilhosa! A Plataforma21 tem arrasado demais no seu trabalho com as capas dos livros e a gente já chega amando todos por aí. Foi muito bom poder ler esse livro e eu já espero por mais da autora. E claro, estou na torcida pra que o Departamento de Correção da Sorte me faça uma visita. hehehehehe



Você Deve Gostar Disto:

0 comentários

Translate

Garotos são bem-vindos!