Garotas e livros

Eu perdi o rumo - Gayle Forman

Por 10:30 0 comentários


Freya perdeu a voz no meio das gravações de seu álbum de estreia. Harun planeja fugir de casa para encontrar o garoto que ama. Nathaniel acaba de chegar a Nova York com uma mochila, um plano elaborado em meio ao desespero e nada a perder.

Os três se esbarram por acaso no Central Park e, ao longo de um único dia, lentamente revelam trechos do passado que não conseguiram enfrentar sozinhos. Juntos, eles começam a entender que a saída do lugar triste e escuro em que se acham pode estar no gesto de ajudar o próximo a descobrir o próprio caminho.

Contado a partir de três perspectivas diferentes, o romance inédito de Gayle Forman aborda o poder da amizade e a audácia de ser fiel a si mesmo. Eu Perdi o Rumo marca a volta de Gayle aos livros jovens, que a consagraram internacionalmente, e traz a prosa elegante que seus fãs conhecem e amam.
Título original: I have lost my way
Autor: Gayle Forman
Editora: Arqueiro
Ano: 2018
Páginas: 272
Adicione: Skoob

Primeira frase do livro:
"Eu perdi o rumo."

Sempre amei as histórias da Gayle. Nenhum livro dela deixa a desejar e com esse não foi diferente. Eu perdi o rumo conta a história de três adolescentes que não se conhecem, mas cada um passa por um problema pessoal e se sentem perdidos e sozinhos no mundo, até que coincidentemente, se esbarram de uma forma inusitada. 

Freya é uma cantora em início de carreira e, prestes a gravar seu primeiro CD, ela perde a voz. Há semanas não consegue cantar e se vê pressionada a contornar esse problema que nenhum médico consegue resolver.

Harun é um jovem que desde criança sabia que gostava de meninos. Sua família era do Paquistão e sua religião e seus pais jamais entenderiam o que ele passava, o que vivia e como não ser o que ele era o estava consumindo. 

Nathaniel era um turista naquele dia, estava andando por com apenas com um plano em mente. Desde pequeno vivia com seu pai, depois que sua mãe se separou dele porque não aguentava lidar com um adulto tão infantil. O pai de Nathaniel tinha problemas, a avó dele cuidou das duas crianças até vir a falecer e Nathaniel assumir a responsabilidade de cuidar de um adulto cedo demais, sozinho demais. 

"Os três podem ser perfeitos desconhecidos com vidas diferentes e problemas diferentes, mas ali, naquele consultório, estão medindo a tristeza da mesma forma. Estão medindo em perdas."

O que nenhum deles esperava é que o caminho deles se cruzassem, que, vagando pelo Central Park, cada um com seus problemas, eles fossem ter o dia mais incrível da vida deles. Um acidente que acaba levando os três de um canto a outro, descobrindo um pouco ou quase nada entre eles, mas com uma ligação entre si que só o destino é capaz de traçar. 

"O tempo pode curar tudo? Ou certas coisas se quebravam de maneira irreparável."

O livro se alterna entre o presente, com cada capítulo narrando um pouco do momento que os três estavam presenciando, com o passado, intitulado "A ordem da perda", que vai nos mostrando a vida deles até chegar no ponto em que chegou, culminando no quanto todos eles se sentem sem rumo, sem saída, sem ninguém. Mas são juntos que esses desconhecidos descobrem que ajudar o outro a encontrar seu caminho acaba ajudando a si mesmo.

"[...] As pessoas têm que ser pacientes uma com as outras. Compreender que às vezes a situação sai dos trilhos, que certas coisas não podem ser apressadas. Que uma pessoa pressionada acaba cometendo erros."


É uma trama cheia de ensinamentos, cheia de reflexão e traz a tona os sentimentos que nos faz ser humanos. O amor, empatia, a humildade, a compreensão, a confiança. Os personagens são doces e tem um crescimento lindo, mesmo que a história se passe em 24 horas, o poder da amizade e da cumplicidade entre eles transforma a vida dos três, e foi maravilhoso poder acompanhar isso. A leitura é fluida e a história é emocionante, te faz acreditar e ter esperança de que embora possamos perder o rumo às vezes, vão existir pessoas ao nosso redor para fazer enxergar o caminho de volta. 

"Freya olha para harun e depois para Nathaniel. Ao contrário da mãe ou de Hayden, não acreditava em nada relacionado ao destino. No entanto, naquele momento, não é difícil acreditar que os três estavam destinamos a se conhecer."
Eu recomendo bastante o livro. A lição que nos deixa, os personagens bem apresentados, até mesmo os secundários, e os temas levantados tão atuais e necessários, nos comove. É um livro curto e com uma história supreendente. Gayle Formam sempre evocando os melhores sentimentos em nós. A capa é maravilhosa e a edição, como sempre, perfeita. Já fico na espera de sua próxima obra. 

    


Você Deve Gostar Disto:

0 comentários

Translate

Garotos são bem-vindos!