Garotas e livros

Ano Um - Nora Roberts

Por 11:00 0 comentários

"Assim, embora dentro de si a luz se ampliasse, o mundo morria diante de seus olhos." 

Desde que comecei a ler a Nora, já foi na fase dela incluir magia nos seus livros. Sempre gostei do toque sobrenatural que ela colocava e com esse livro não foi diferente. Imagina, primeiro dia do ano, um vírus mortal se espalha de forma muito rápida, levando milhares de pessoas ao desespero e matando milhões. A situação de pânico que se instaura não é pouca. Com sintomas comuns, mas mortais, e sem tempo hábil de estudar o que é e achar uma cura, a sociedade desmorona. Sempre amei uma distopia, mas essa tem uma carga sombria que envolve o leitor na trama com misto de horror e magia.


"- Não existem culpados. Bençãos virão quando magias há muito obscurecidas renascerem. Pode haver alegria após as lágrimas."

Livro novo Nora Roberts

Título original: Year One
Autora: Nora Roberts
Editora: Arqueiro
Ano: 2019
Páginas: 400
Adicione: Skoob

Primeiro trecho do livro:
"Quando puxou o gatilho e derrubou o faisão, Ross MacLeod não tinha como saber que havia matado a si mesmo. E bilhões de outras pessoas."

Por algum motivo que ninguém sabe explicar, algumas pessoas são imunes ao vírus. Mesmo tendo contato direto com a doença, não sucumbiram ao que eles chamam de Catástrofe. Quanto mais os dias passam, mais caótico tudo fica. Só que além das pessoas imunes, alguns acabam despertando poderes que já existiam neles ou que foram recém adquiridos. Criaturas como bruxos, fadas, metamorfos, magos, dentre outros, começam a se destacar dentre os que sobrevivem e muitos "normais" acabam julgando e culpando esses seres que passaram a ser chamado de Incomuns. Mas assim como existem as pessoas que buscam fazer o bem, há os que aproveitam a desgraçada da humanidade para fazer o mal. Entre humanos e Incomuns, há grupos que só querem exterminar todo o resto da raça que não pertencem aos seus grupos. Só resta a quem sobreviveu buscar mantimentos e se esconder.

"Talvez ninguém jamais viesse a ler ouvir. Talvez, no futuro, ninguém se importasse ou talvez não sobrasse ninguém para se importar. Mas ela precisava deixar um registro."

Um vírus que começou com magia, teria que terminar com magia, certo? Passamos o livro todo sem saber o que causou essa catástrofe, mas acompanhamos o paciente zero, a primeira pessoa a ser infectada e que levou toda a desgraça pelo resto do mundo Toda a Terra sucumbiu à desgraça e quem vive, procura se manter em segurança. Nesse livro os personagens são divididos em grupos. Temos os bruxos Lana e Max, que já sabiam que tinham poder, mas que sentiram ele despertar de vez quando a Catástrofe começou. Pessoas boas que tentam fugir do caos que está em Nova York. Em outro grupo temos Chuck, um hacker e fonte da jornalista Arlys, que mesmo com dificuldades de transmissão, insiste em mostrar a verdade ao mundo. Junto a ela, tem Fredinha, uma fada muito amável e que está sempre disposta a ajudar. Em outro canto da cidade temos Rachel e Jonah, uma médica e um paramédico que tentam ajudar uma mãe e seus três recém nascidos a sair e procurar um lugar seguro. 

"Chefes de Estado caíam como peças de dominó. Embora cercado de precauções, mostraram-se tão suscetíveis quanto os desabrigados, os desesperados, os fiéis e os ateus, os sacerdotes e os pecadores."

O que resta à população de bem é isso, fugir para onde der e sempre ficar atento. A maldade e o poder deturparam muitas pessoas e o só pioram o que restou do mundo. A trama foi muito bem escrita e a destruição da sociedade é bem explicada. Nora leva todos esses personagens a um caminho difícil e uma longa jornada, afinal, qualquer pessoa pelo caminho pode querer fazer o mal. Em quem confiar? Como sobreviver? O governo realmente caiu? O que estão fazendo pelas pessoas que ainda vivem? Foi como uma limpa na humanidade, mas de forma aleatória. Enquanto os maus querem deter todo espaço e matar quem pensa diferente deles, os bons tentam se reerguer e seguir vivendo, apesar de tudo.

"Com governo em caos, o medo de novos atentados ressurgiu com força. Mas os terroristas estavam tão ocupados em morrer quanto todo o restante da população."


"[...] - Penso nisso como uma espécie de equilíbrio. Ou nos deram mais ou o que já possuíamos emergiu para que possamos equilibrar a escuridão e a morte. Ajudar a reconstruir, ajudar a reestruturar um mundo com mais luz. Mais bondade, mais tolerância." 

Nora destrincha a história e quando vemos já se passaram dias, semanas, meses; porém ela só se prende a fatos importantes e não como as coisas vão passando de um momento para outro passo a passo, o que não deixa a obra cansativa, além de que seria desnecessário. O mundo acabou, chegou ao fim. O início é o que vem agora. Uma antiga profecia falava sobre isso, que esse dia chegaria e que, um dia, alguém mudaria tudo, afinal. Esse livro é apenas a introdução. Vemos como aconteceu, mas não o por quê. Sabemos quem irá salvar a todos, mas não como. Foi uma obra muito bem escrita, cheia de momentos tensos, que mostrava o horror de um sociedade em colapso, tomada por poderes e pessoas malignas contra outros que apenas queriam viver em paz. 

"Há um propósito. Estamos vivos, e há um propósito. Vamos comemorar isso."

A edição está perfeita e fiquei muito apaixonada por essa capa. Os corvos tem sua representatividade na obra e o preto no branco só deixou tudo ainda mais bonito. Adoro uma capa branca! O próximo livro da trilogia será De sangue e ossos e mal posso esperar por ele!

"[...] Eles nos querem mortos, todos nós, ainda mais a Salvadora."

    

Você Deve Gostar Disto:

0 comentários

Translate

Garotos são bem-vindos!