Garotas e livros

O Diário de Anne Frank

Por 17:17 0 comentários


"[...] Depois adormeço com a ideia tola de querer ser diferente do que sou, ou de que não sou como queria ser e de que faço tudo ao contrário. Queria agir de outra maneira e não ser como sou."

 

o diário de anne frank


Não sei porque não havia lido esse livro antes. Mas esse ano saiu! Estou tentando ler os clássicos e, lógico, a história da Anne não poderia passar batido. Embora eu já conhecesse muita coisa sobre a história, foi uma experiência única poder ler as palavras da garota que mostrou ao mundo que ela seria lembrada após sua morte. Palavras do seu dia a dia num esconderijo. Alemã de origem judaica, sua família teve que se esconder por muito tempo na esperança de que a perseguição acabasse, de que a guerra findasse. De que eles pudesse, enfim, viver em liberdade, como qualquer outra pessoa. 


Título original: The Diary of Anne Frank
Autora: Annelies Marie Frank
Editora: Livraria família cristã
Ano: 2019
Páginas: 224
Adicione: Skoob

Primeiro trecho do diário:
"Vou iniciar a partir do instante em que ganhei você, quando o vi na mesa, entre meus outros presentes de aniversário. (Eu estava junto quando você foi comprado, mas isso não faz diferença.)"

nazismo


"[...] Gostaria de voltar a viver assim, só por uma tarde, uns dias ou uma semana, despreocupada, mas no fim da semana estaria cansada e ficaria grata à primeira pessoa que me aparecesse a falar de coisas sérias. Não preciso de admiradores, mas, sim, de alguém que dê valor a minha maneira de ser e ao meu caráter. Sei que assim terei menos gente à minha volta. Mas não importa, o principal é que me fiquem algumas pessoas de caráter."

Anne relata seus dias, fala sobre a acomodação onde ficou, um anexo criado e escondido onde o pai trabalhava. Fala das outras pessoas que foram se esconder lá também, das notícias da guerra que eclodia e a cada avanço. Dos judeus que foram mortos ou levados à campos de concentração. É triste e pesado ter a noção de que tudo isso é real. E por mais que os livros de história e filmes retratem esses dias, ler nas palavras de uma adolescente o medo e o temor de que isso acontecesse a ela, uma menina que só queria viver, queria alguém que a amasse, queria ser compreendida, queria ter uma vida que valesse a pena, ser uma escritora, ver todos esses sonhos e desejos serem arrancados e assassinados é doloroso. 


"Enquanto ainda há um sol tão brilhante, um céu sem nuvens e tão azul, e enquanto me é dado ver e viver tamanha beleza, não devo ficar triste."

E quantos sonhos não foram mortos? Quantas vidas foram interrompidas porque alemãs nazistas se achavam superiores e decidiram que os judeus tinham que ser eliminados. Em massa. Me dá uma raiva e uma sensação de impotência só de pensar nessa época, nessa tortura, nesse massacre em massa. Há filmes que nem consigo assistir porque o que é retratado me dói, machuca, me envergonha e me entristece. Como o ser humano é capaz de tamanha atrocidade? E como, ainda, alguns se levantam com orgulho para bradar sobre esse momento histórico e triste?



"Não acredito que a culpa da guerra seja só dos governantes e dos capitalistas. Não, o homem comum também tem a sua culpa, pois não se revolta. O homem nasce com instinto da destruição, do massacre, da fúria, e, enquanto toda a humanidade não sofrer uma metamorfose total, haverá sempre guerras. O que se construiu e cultivou e o que cresceu será destruído, e à humanidade só resta recomeçar."


Anne é apenas uma adolescente. Tem suas dúvidas, suas crises, e apesar de ser extremamente inteligente (ou talvez por isso), ela continua sentindo falta de algo ou de alguém com quem compartilhar todos os seus pensamentos e ideias. Ela nos conta sobre cada morador, sobre os amigos que os ajudam e levam comida e outras coisas, sobre os ataques, sobre os sentimentos reais e sinceros de uma menina que conta os dias para ver o mundo. 


"Converso a mesa mais comigo mesma do que com os demais, o que tem duas vantagens: provavelmente todos ficam contentes quando falo pouco e, além disso, não preciso me aborrecer com as opiniões dos outros. Como acho as opiniões deles quase sempre tolas e só as minhas certas, o melhor é não dizer nada."

É um livro que todo mundo deveria ler, nem que seja para conhecer mais um pouquinho de como foi que famílias viveram escondidas por anos, esperando o fim da perseguição. E ainda assim, para a grande maioria, não conseguiram ver este dia. 


"[...] Sim, porque uma pessoa pode sentir-se só, mesmo no meio de muita gente amiga, se souber que não ocupa um lugar muito especial no coração de alguém."


XOXO

Você Deve Gostar Disto:

0 comentários

Translate

Garotos são bem-vindos!