Garotas e livros

Um acordo pecaminoso - Lisa Kleypas

Por 11:00 0 comentários

"- Ser imaginativa e brincalhona não a torna menos adulta - comentou Gabriel, com gentileza. - Só faz de você uma adulta mais interessante."

Como eu parei de ler sinopses de séries há uns anos atrás (sim, porque peguei um BAITA spoiler em Academia de Vampiros) eu não sabia de qual gêmea esse livro ia falar, só sabia que era de uma delas, já que o segundo livro da série foi sobre Helen. Confesso que não esperava ser de Pandora, a jovem autenticamente rebelde que não queria nem saber de casamento e que conseguia listar muitas outras coisas melhor do que beijar na boca. Pensei que seu livro ficaria para o final, mas fui surpreendida com uma história deliciosamente divertida.

Lady Pandora Ravenel é muito diferente das debutantes de sua idade. Enquanto a maioria delas não perde uma festa da temporada londrina e sonha encontrar um marido, Pandora prefere ficar em casa idealizando jogos de tabuleiro e planejando se tornar uma mulher independente.
Mas certa noite, num baile deslumbrante, ela é flagrada numa situação muito comprometedora com um malicioso e lindo estranho.
Gabriel, o lorde St. Vincent, passou anos conseguindo evitar o casamento, até ser conquistado por uma garota rebelde que não quer nada com ele. Só que ele acha Pandora irresistível e fará o que for preciso para possuí-la.
Para alcançar seus objetivos, os dois fazem um acordo curioso, e entram em uma batalha de vontades divertida e sensual, como só Lisa Kleypas é capaz de criar.
Título original: Devil in spring
Os Ravenels #3
Autor: Lisa Kleypas
Editora: Arqueiro
Ano: 2018
Páginas: 304
Adicione: Skoob

Primeira frase do capítulo 1:
"Lady Pandora Ravenel estava entediada."


Pandora e Cassandra são as gêmeas Ravenels, as meninas que foram criadas soltas e praticamente sozinhas, sem nenhum modo e mal sabendo se portar na sociedade com o título de nobreza que carregavam. Mas Pandora é única. Sua criatividade, sua euforia com tudo e seu jeito de enxergar a vida chocavam as pessoas. Como assim, uma jovem na sua idade não queria participar de bailes, ser cortejada e muito menos se casar? Ela queria seu próprio trabalho, ganhar a vida fazendo o que ama e não ser a mulher submissa a um marido que a manteria em casa, cuidando das coisas que o seu papel como mulher a obrigava. 

"Ela passava uma forte impressão de ter uma constante energia nervosa, como um puro-sangue esperando pela bandeira de largada. Mesmo os menores movimentos de Pandora pareciam ter potencial para uma ação explosiva."

E é isso que eu mais gosto nesse livro. O seu empoderamento é algo precioso, sua liberdade de escolha e decisão é algo de que ela realmente não abrirá mão. Se hoje em dia isso ainda é questionado, imagine isso em 1876? Há quase 150 anos atrás isso era praticamente impossível. Então quando Pandora conhece Gabriel, o lorde St. Vicent, e ambos passam por uma situação muito comprometedora, quais as opções além de fugir disso tudo e provavelmente jogar seu nome na lama, arruinando sua família com fofocas? Porque casar-se com um lorde conhecidamente libertino não era uma opção.

"- Muitas pessoas acreditam que o casamento é capaz de mudar o temperamento de um homem. O que é uma idiotice, é claro. O amor não faz com que um leopardo seja capaz de apagar suas pintas."

O matrimônio nunca foi cogitado, até que ela realmente o conhece e talvez, apenas talvez, houvesse algo de interessante em casar. E Gabriel?? Ah, ele é maravilhoso! É o modo totalmente diferente de Pandora que o intriga, o mantém cada vez mais interessado nessa jovem tão cheia de vida e de opinião própria, essa mulher que não quer casar porque quer ser dona de si mesma, uma moça que nunca teve casamento e família em seus planos. Ele a quer, e isso é um problema imenso porque ela não quer abrir mão de tudo que vem conseguindo sozinha.

"- Você está dizendo que eu devo confiar a um homem o poder de, por toda a vida, tomar decisões por mim, do modo como eu desejaria que fossem tomadas, quando eu preferia tomá-las eu mesma? - Com um toque sincero de perplexidade, Pandora perguntou: - Por que eu faria isso?


Mas daí um acordo é feito entre eles e é divertido demais a maneira com Lisa conduz esse relacionamento. Pandora continua dando aulas de empoderamento e liberdade para a mulher a todo o momento, ela se preocupa com as outras mulheres e deseja o mesmo que luta para si, ela quer igualdade, quer poder fazer as coisas sem ter a permissão de um homem, ela quer ser ela mesma. O livro é extremamente divertido e gente lê super rápido. Lisa arrebata mais uma vez o meu coração com esse casal incrível. Eu amo muito o casal anterior, mas Gabriel é maravilhoso, não tenho como negar. 

"Pandora não conseguiu ouvir bem a resposta de lorde St. Vicent acima do estrondo que seu coração parecia fazer no peito. A proximidade dele, o braço protetor, aquela mão acariciando-a com gentileza... Tudo aquilo parecia despertar partes do corpo dela, profundas, até então adormecidas. Um prazer novo, estranho, se espalhou por Pandora e acendeu cada terminação nervosa, como se fossem uma sucessão de minúsculas velas de aniversário."
A série tem um pano de fundo que segue seu fluxo com os personagens surgindo aqui e ali, só que neste livro a coisa fica mais tensa. Tem mais ação, mais suspense e embora o romance tenha quase todo o destaque, a trama que corre por trás começa a ganhar uma importância maior e já estou ansiosa para saber como tudo vai seguir. Nos primeiros livros tem sempre algo acontecendo por trás, só que aqui ganhamos uma continuidade no segundo plano também. A edição está impecável e já preciso do quarto livro!

    

Você Deve Gostar Disto:

0 comentários

Translate

Garotos são bem-vindos!